Compartilhar esta página!
Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someoneBuffer this page

 

Traduzido de artigo originalmente escrito por Emily KippelsThe best way to learn a language

Maximize sua experiência de aprendizado

A seguir, confira as experiência da americana Emily Kippels ao aprender espanhol!

Melhor maneira de aprender um idiomaSão vários os motivos para estudar um segundo idioma. No entanto, quando se trata de como fazê-lo há um consenso claro: a melhor maneira de aprender um idioma é maximizar suas horas de contato por imersão, onde a língua é falada. Ou seja, estudar no exterior.

Emily, professora de inglês, tinha 13 anos quando começou a estudar espanhol. O idioma foi escolhido arbitrariamente – porque o professor de espanhol parecia melhor do que o professor de francês, e porque Emily queria ser diferente de suas irmãs. Os estudos continuaram até faculdade, onde Emily se inscreveu em clubes de conversação espanhola, fez trabalhos voluntários na comunidade hispânica, tinha melhores amigos mexicanos e só ouvia a músicas latinas. Mas, ainda assim, a americana não conseguia, por mais que tentasse, participar de uma conversa em espanhol.

Após 10 anos em sala de aula, a então estudante tinha a capacidade de escrever um ensaio, ler e entender um romance e até cantar uma canção popular em espanhol, mas de maneira alguma podia se comunicar espontaneamente sobre qualquer coisa além do monólogo que já tinha decorado e que havia repetido há anos: “meu nome é Emily, eu sou de Minnesota, estudei antropologia. Sim, eu gosto do México. Sim, eu gosto de comida apimentada…”. Ela conta que quando fazia trabalhos de voluntariado em uma clínica latina, chegava ao ponto de trancar-se em um armário de armazenamento para fazer chamadas telefônicas. “Meu coração ficava acelerado, eu suava e fazia força para segurar o cabo do telefone que ficava pendurado para fora do armário trancado”, diz. Mas ela se superou.

Após anos de luta com os medos e obstáculos enfrentados na aquisição da segunda língua, Emily dá algumas dicas sobre como aproveitar ao máximo sua experiência de aprendizagem de idiomas no exterior:

Engula seu orgulho

Segundo Emily, o ítem mais importante na aprendizagem de um novo idioma é permitir-se cometer erros e não se importar em ser corrigido. Quando a americana se mudou para o México para estudar, seu maior medo era cometer erros, mas quando finalmente deixou isso de lado, aprendeu a rir das confusões que fazia e pegou o idioma com muito mais rapidez e fluidez, tornando-a muito mais confiante. “Erros de comunicação são uma parte inevitável da aprendizagem. Eles podem ser embaraçosos, mas realmente podem enriquecer as suas experiências”, afirma.

Dois anos atrás, Emily passou suas férias com sua amiga Laura em Acapulco, no México. Ela conta que estavam na praia, conversando e tomando cerveja quando uma senhora passou vendendo limão em um saquinho preto. “Laura e eu acenamos quando a senhora estendeu a mão, tiramos algumas moedas, entregamos a ela e, para a minha surpresa, ela saiu sem nos dar os limões. Quando manifestei o meu descontentamento, através de crises de riso histérico, Laura me explicou que ela estava pedindo esmola (limosna em espanhol) e não vendendo limões (limones em espanhol)”, explica. Na volta para casa, o equívoco virou piada entre os amigos.

Engaje-se

Estudar no exterior, porém, não garante a aquisição absoluta de um idioma. Se você gastar o seu tempo trancado em seu quarto ou enterrado em seus livros, de nada vai adiantar. Para Emily, a melhor maneira de aprender uma língua é envolvendo-se com ela de uma maneira significativa. Ela ressalta a importância de desenvolver um interesse pessoal ou paixão pelo país escolhido, bem como aprofundar a cultura através de um estágio, projeto voluntário ou esporte com os habitantes locais.

“Meu maior salto na fluência veio depois de começar a fazer aulas de salsa. Era era completamente cercada pelo espanhol durante horas. Além disso, nos primeiros e últimos 10 minutos de aula passei a aproximar-me dos companheiros de dança e fiz excelentes amizades”, conta. Outra dica é preencher as lacunas do dia assistindo a filmes ou programas de TV, ouvir uma estação de rádio local e ir a eventos ou festivais locais. O mais importante é experimentar a linguagem em uso.

Melhor maneira de aprender espanholMelhor maneira de aprender espanhol

Expresse-se

Emily aconselha os estudantes a tornar a linguagem o mais pessoal e expressiva possível. Aprender palavras de enchimento para substituir o bom, velho e perturbador “umm” ou “boom” é uma boa maneira de proporcionar a si mesmo um sentimento de satisfação e sentir-se fluente. “Aprender expressões idiomáticas também é importante, especialmente porque muitas expressões, no meu caso em inglês, não podem ser traduzidas corretamente”, diz.

Ao mesmo tempo, é preciso tomar cuidado com o vocabulário. Em qualquer lugar do mundo, as obscenidades e palavrões são as primeiras palavras que as pessoas aprendem quando estudam uma segunda língua. Assim, se faz necessário entender algumas sutis diferenças que podem fazê-lo xingar alguém sem querer.

Ramifique-se

Ao morar e estudar no exterior, é muito fácil conhecer pessoas que são do mesmo país ou que falam o mesmo idioma que você. Mas é preciso sair dessa bolha. Emily relata que, em seu aprendizado, foi essencial fazer partes de diferentes grupos. “Eu deixei a timidez de lado e puxei papo com estranhos”, diz. Segundo ela, cafés, praças públicas e atividades extracurriculares são ótimos locais e maneiras de conhecer novas pessoas. O que importa é a convivência com falantes nativos do idioma. “Na minha experiência, mudar-me para um apartamento com cinco mexicanos foi a melhor coisa que fiz para o meu espanhol. Fui obrigada a me comunicar completamente em meu segundo idioma sem a possibilidade de usar o inglês. Tornei-me muito mais fluente e confiante e fui apresentada para novos círculos de amigos e pessoas que eu não teria conhecido se eu tivesse continuado a viver com os meus amigos americanos”.

Use-o ou perda-o

Mantenha-se em contato com o idioma mesmo depois de chegar em casa. Para Emily, meios de comunicação como Facebook ou Skype são ótimas ferramentas para matar a saudade dos amigos de língua espanhola e ainda praticar o idioma. Música, cinema, aplicativos para o celular sites de vocabulário ou programas de voluntariado em outro idioma também ajudam e muito! “É só não se esconder no armário”, diz.

Estas foram as dicas sobre a melhor maneira de aprender um idioma baseadas na experiência de Emily Kippels. E você, está pronto para dar o próximo passo e contar suas próprias histórias? Siga-nos e confira nossos programas de idioma no exterior!

 

Compartilhar esta página!
Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someoneBuffer this page

 

Contate um de nossos atendentes de cursos de idiomas
para saber mais sobre oportunidades de aprender ou melhorar seu conhecimento em idiomas estrangeiros:

[contact-form-7 id="51" title="Formulario Contacto - Blog"]